Muita gente sente medo ao pensar no próprio envelhecimento. Afinal, quando pensamos na terceira idade, logo imaginamos idosos frágeis, adoecidos, dependentes e inativos. Além do mais, a velhice é a etapa final da vida — e a morte, apesar de ser a nossa única certeza, ainda causa muito temor e angústia.

O fato é que a expectativa de vida do brasileiro tem crescido cada vez mais e, em 2016, chegou a 75,8 anos. Então, o que fazer para chegar à velhice com alegria e qualidade de vida? Além disso, como você pode contribuir para que os idosos com os quais você se relaciona vivam essa fase da melhor forma possível?

Neste texto, você encontrará algumas informações e dicas importantes relacionadas à terceira idade. Confira!

Saiba a importância de levar uma vida ativa e segura na terceira idade

É fato que o envelhecimento traz muitas limitações. Com o tempo, há um declínio progressivo das nossas funções, tanto físicas quanto mentais. Além disso, o corpo se torna mais suscetível ao aparecimento de várias doenças — principalmente as crônicas, degenerativas e as relacionadas à saúde mental.

Entretanto, isso não significa que a terceira idade é sinônimo de adoecimento, dependência ou incapacidade. Ao contrário, é possível se adaptar a essa nova situação e viver de forma feliz e satisfatória.

A função da família

O apoio da família é fundamental nessa fase. É ela que, em parceria com o próprio idoso, deve se responsabilizar pela sua segurança financeira, física, mental, emocional e social, além de respeitar a sua individualidade e privacidade, e estimular ao máximo a sua independência e autonomia dentro das possibilidades de cada um.

A importância de manter-se ativo

Manter uma vida ativa é essencial para a satisfação dos idosos, que precisam continuar atribuindo valor a si mesmos e à própria vida. Mesmo que trabalhar seja inviável, é possível realizar outros tipos de atividades, que vão depender das condições e preferências de cada pessoa — o importante é não parar de se movimentar.

Manter-se ativo socialmente também é muito importante. Criar relações e preservar os laços afetivos estreitos e duradouros, reservar um tempo para o lazer, manter-se a par das notícias, sair de casa e participar de atividades em grupo: tudo isso contribui para que o idoso continue se sentindo parte do mundo!

Conheça os hábitos que proporcionam uma vida saudável na velhice

Não existem fórmulas mágicas para envelhecer de forma saudável, afinal, é natural que o nosso corpo carregue o peso do tempo, e não seja mais tão resistente e vigoroso como já foi um dia. Mas alguns hábitos podem melhorar a qualidade de vida na terceira idade e proporcionar mais independência e autonomia. Acompanhe!

Atividades físicas

A prática de atividades físicas é um dos fatores mais importantes para promover o envelhecimento saudável. E esse é um hábito que deve ser mantido ao longo de toda a vida, inclusive na própria terceira idade.

Para os idosos, os exercícios de fortalecimento da musculatura são benéficos porque reduzem significativamente o risco de queda — e as quedas, nessa fase, podem trazer complicações sérias. Atividades aeróbicas também são interessantes nessa idade, porque melhoram o condicionamento físico, e diminuem a ansiedade e o stress.

Para definir a frequência e a intensidade dos exercícios é preciso levar em conta a idade e as condições físicas de cada idoso. Além disso, existe uma grande diversidade de atividades que podem ser realizadas — como hidroginástica, caminhada, dança, pilates —, e o ideal é que cada pessoa encontre o que mais lhe dá prazer.

Na terceira idade, as atividades em grupo devem ser priorizadas por proporcionarem um convívio social — que é outro fator importante para a qualidade de vida nessa fase.

Alimentação saudável

Outro hábito que deve ser mantido ao longo da vida é a preocupação com a alimentação, e isso já não é novidade para ninguém. Mas, na terceira idade, esse cuidado é ainda mais importante, porque doenças como diabetes e hipertensão são comuns nessa fase e trazem um risco significativo de derrame cerebral e infarto, por exemplo.

Por isso, é fundamental, em primeiro lugar, comer moderadamente — diminuindo principalmente a ingestão de calorias e gorduras. E, por outro lado, aumentar a ingestão de fibras que ajudam no funcionamento do intestino, e estão presentes em grande parte das frutas, verduras, legumes, grãos e cereais.

Alimentos ricos em vitamina C, como a laranja e a acerola, também são importantes porque previnem a anemia, auxiliando na absorção do ferro. Já o sal e o açúcar devem ser diminuídos drasticamente.

Outro ponto importante na terceira idade é a ingestão de água. Idosos não sentem muita sede e, por isso, desidratam-se com frequência. Portanto, a ingestão de líquidos deve ser feita de forma periódica, mesmo sem a sensação de sede.

Atividades mentais

Algum grau de declínio cognitivo — ou seja, de diminuição das funções mentais como a memória, o raciocínio, a atenção e a linguagem — é natural à medida que envelhecemos. Entretanto, é possível prevenir ou diminuir o impacto desse declínio, e isso pode ser feito mantendo a mente ativa e estimulando essas funções cognitivas.

Atividades como jogos, ouvir música, ler, escrever e aprender coisas novas são exercícios mentais interessantes. Mas pequenas coisas no dia a dia, como tentar lembrar o nome das pessoas, ou recordar com detalhes de certas situações, já fazem a diferença. O importante é colocar a cabeça para funcionar!

Uma dica: cada idoso deve encontrar aquilo que mais gosta de fazer e buscar se envolver em atividades diversas para exercitar a maior quantidade possível de funções cognitivas.

Entenda que é necessário pensar no futuro — e também na morte

Muitas pessoas têm dificuldade em pensar no futuro e se preparar para o seu próprio envelhecimento. Mas, para viver uma terceira idade feliz e satisfatória, é muito importante que a qualidade de vida seja uma prioridade enquanto você ainda é jovem.

Isso significa que, mesmo estando no auge da saúde física, mental, emocional e social, é essencial refletir sobre o tempo e os impactos que ele causa no seu corpo e na sua mente — mesmo que isso seja difícil de aceitar. Por isso, pense sobre o que você pode fazer agora para chegar a essa fase da forma mais tranquila e saudável possível.

Por que pensar na morte?

O que, provavelmente, torna ainda mais difícil pensar sobre o envelhecimento é o fato de que ele traz, como consequência, a morte. E, como o fim da vida é um grande tabu em nossa cultura, é muito angustiante pensar ou falar sobre a própria morte ou a dos familiares e pessoas próximas.

Mas ela é um destino certo e pelo qual todos devem passar. Portanto, é preciso que você encontre a sua própria forma de lidar com esse fato e de se preparar para ele. Não deixe para pensar na morte apenas na velhice, pois isso pode torná-la mais difícil e dolorosa.

E, além do mais, encarar a morte pode modificar de forma positiva a sua maneira de enxergar a própria vida, fazê-lo rever as suas atitudes e melhorar as suas relações com as pessoas.

Mostramos, ao longo do texto, que é possível chegar à terceira idade de forma ativa, saudável e satisfatória. Para isso é preciso lançar mão de alguns hábitos e, o mais importante, se planejar. Além disso, a morte não precisa ser um tabu: nem nessa fase, nem nas outras. Prepare-se para ela e você terá uma vida bonita e bem vivida.

E, se você quer encontrar uma forma concreta de se preparar para a morte, entre em contato conosco e planeje esse momento, tornando-o o mais tranquilo para você e sua família.