O Memorial Vera Cruz é um cemitério que trouxe para a realidade dos passo-fundenses o conceito de sepultamento vertical. Porém, o assunto ainda causa dúvidas.

Elaboramos este artigo para esclarecer as principais questões e mostrar mais detalhes. Aqui, você irá aprender mais sobre esse método e como ele ocorre no Memorial Vera Cruz. Continue a leitura!

O que é o sepultamento vertical?

Essa é a forma de sepultamento que ocorre nas chamadas “gavetas”. É vertical pois os espaços para sepultamento são posicionados na parede, um acima do outro, como se fossem, realmente, grandes gavetas.

O cemitério, por sua vez, se apresenta em forma de prédio. Diferentemente dos cemitérios tradicionais — os horizontais —, que são espaços abertos.

Esse método é uma tendência mundial e surgiu devido à grande ocupação dos espaços urbanos. As cidades, cada vez com espaços mais limitados, tiveram a necessidade de ter necrópoles que aproveitassem melhor esses espaços. Os cemitérios verticais solucionaram esse problema, pois oferecem um método seguro de sepultamento, que não polui o meio ambiente e que proporciona o máximo de organização e aproveitamento de espaço.

O que você precisa saber sobre o sepultamento no Memorial Vera Cruz?

Depois de contextualizarmos melhor o método, vamos à parte mais importante: o que você precisa saber sobre este método aqui no nosso cemitério. Por isso, separamos em tópicos as principais dúvidas que recebemos. Acompanhe!

Existe um limite de tempo que o corpo possa ficar sepultado?

Não. Nos casos de espaços adquiridos de forma perpétua, o corpo do ente querido pode ficar sepultado pelo período que a família desejar, desde que seja mais do que 3 anos, que é o tempo mínimo estipulado por lei.

A partir desses 3 anos, a família pode solicitar a retirada do corpo para que seja encaminhado para a cremação ou para um ossuário. Nesses casos, devido ao método, existe a possibilidade de o corpo não estar pronto para ser exumado. Dessa forma, a família pode escolher entre fazer a guarda novamente na mesma gaveta ou encaminhar para cremação.

Sepultar no Memorial gera algum custo?

Sim. A gaveta ocupada irá gerar a taxa de manutenção do espaço. Esse valor é anual e é predefinido por contrato. O valor é utilizado para manter os filtros de gases em funcionamento efetivo e, também, convertido em melhorias na infraestrutura do local, para que a família sempre possa contar com um serviço de qualidade.

Quando os restos mortais vão para um ossuário?

Quando a família solicitar, a partir de 5 anos da data do sepultamento. Como vimos anteriormente, a sepultura pode ser aberta após 3 anos. Porém, devido ao método de sepultamento, é possível que o corpo ainda não esteja pronto para a exumação. Por isso, pedimos que a família aguarda, pelo menos 5 anos para fazer essa tentativa.

Além disso, a família precisa já ter contratado o espaço de ossuário, seja ele familiar ou individual.

Lembrando que não é obrigatório que a família faça essa transferência. Se for de desejo dos familiares manter a pessoa sepultada na gaveta, assim será feito.

Quais as formas de contratação existentes no Memorial?

Buscando diversificar as opções, para que a comunidade fique livre para escolher a melhor alternativa para sua família, hoje o Memorial conta com diferentes formas de contratação.

As opções vão das tradicionais gavetas individuais a gavetas familiares, com a possibilidade de sepultar até 4 pessoas. Além do mais, há a cremação, planos funerais, os cinerários (que são espaços específicos para o sepultamento de cinzas da cremação), ossuários individuais, ossuários familiares, e até mesmo serviços para a despedida a animais de estimação.

Atualmente, o Memorial Vera Cruz é uma das empresas mais completas do sul do país, oferecendo uma gama de possibilidades de reconforto aos enlutados e dignificação de quem partiu.

Gostou de saber um pouco mais sobre o Memorial Vera Cruz? Acompanhe nossa página no Facebook e conheça ainda mais sobre o serviço que prestamos.