Chegado o mês de outubro, você, provavelmente, já deve ter visto por aí a campanha Outubro Rosa. Seja em cartazes, outdoors, camisetas e, principalmente, nas mídias sociais, não é à toa que o mês é lembrado pela cor rosa. O movimento nasceu em 1990, nos Estados Unidos, com o objetivo de incentivar homens e mulheres na prevenção ao câncer de mama.

Atualmente, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca) tirando os cânceres de pele, o de mama é o que mais atinge mulheres. Nos homens, o câncer mais comum é o de próstata.

Neste post, vamos explicar um pouco sobre o que é a doença e como você pode fazer para se prevenir dela. Acompanhe!

Projeção do Inca

Como já vimos anteriormente, o número de mulheres diagnosticadas com câncer de mama só não supera o número de mulheres diagnosticadas com cânceres de pele. Em fevereiro deste ano, o Inca, estimou que em 2018 seriam 59.700 novos casos de câncer de mama, no Brasil. Essa projeção é um pouco maior do que a que se esperava para 2017, quando a estimativa foi de 57.960 novos casos registrados.

“Esta é uma fotografia do cenário atual do câncer no Brasil e uma importante ferramenta para o controle da doença, uma vez que auxilia no planejamento de políticas públicas e gestão dos recursos”. Considerou a diretora-geral do Inca, Ana Cristina Pinho, conforme o site oficial da instituição.

Como evitar o câncer de mama?

Já que o Outubro Rosa existe para promover a prevenção contra o câncer de mama, separamos algumas dicas para você. Algumas são mais praticáveis do que outras. Mas, independente disso, é possível você avaliar quais são as dicas que se encaixam ao seu dia a dia e adotar as medidas ideais.

Pratique exercícios físicos

A prática regular de exercícios físicos é uma ótima estratégia para evitar o câncer de mama. Estudos mostram que, ao levar uma vida ativa, é possível reduzir em até 50% os riscos de desenvolver o câncer.

Ainda, mulheres que se exercitam de uma a três horas por semana conseguem evitar em até 30% a incidência da doença

Este método, deve estar vinculado ao tópico seguinte, acompanhe!

Tenha uma alimentação saudável

Além de praticar atividades físicas, manter uma alimentação baseada em frutas, verduras, fibras, óleo de oliva e peixes auxilia na prevenção. Além disso, a substituição de gorduras saturadas por gorduras monoinsaturadas também é uma aliada contra a doença.

Perca o hábito de fumar

O tabagismo, além de desencadear doenças respiratórias e câncer de pulmão e de outros órgãos do sistema respiratório, pode causar câncer de mama. Um estudo mostra que as chances de uma mulher desenvolver a doença antes dos 44 anos aumentam em 60%, com o consumo de mais de um maço de cigarro por dia, ao longo de 10 anos.

Acabe com o consumo de álcool

Assim como perder o hábito de fumar, perder o hábito de consumir bebidas alcoólicas também traz benefícios em relação à prevenção do câncer de mama. Assim como em relação ao tabagismo, o consumo de álcool aumenta em 60% o risco de desenvolver a doença.

Atente-se às mudanças no seu corpo

Grande parte dos diagnósticos precoces do câncer de mama ocorre porque as mulheres buscam saber mais sobre o próprio corpo. Ao observar alterações na pele e na consistência das mamas, as mulheres conseguem identificar a doença com certa eficácia. O diagnóstico precoce é de extrema importância no combate à doença. A maioria dos casos é reversível e, inclusive, dependendo do estágio, o tratamento nem mesmo inclui quimioterapia. Os principais sintomas são:

  • Liberação de líquido pelo mamilo, especialmente sangue;
  • Veias facilmente observáveis e que aumentam de tamanho;
  • Nódulo ou caroço na mama, que está sempre presente e não diminui de tamanho;
  • Vermelhidão, inchaço, calor ou dor na pele da mama;
  • Presença de um sulco na mama, como se fosse um afundamento de uma parte da mama;
  • Alteração na coloração ou forma da aréola;
  • Formação de crostas ou feridas na pele junto do mamilo;
  • Alterações do tamanho ou forma da mama;
  • Coceira frequente na mama ou no mamilo;
  • Inchaço e nódulos frequentes nas ínguas das axilas;
  • Endurecimento da pele da mama, semelhante a casca de laranja.

Faça exames periódicos

A mamografia periódica é essencial para a detecção da doença. Para quem tem parentesco em primeiro grau com alguma vítima da doença, o ideal é que os exames comecem a partir dos 40 anos. Às demais, a recomendação é que o exame seja intensificado no período de entre 50 e 69 anos, que é a faixa etária que mais registra casos do câncer de mama.

Maternidade e amamentação

Esse é um fator que não depende apenas de uma mudança de hábitos, mas abrange todo um contexto. A maternidade, somada ao aleitamento materno, são grandes aliados no combate ao câncer de mama.

Isso se deve à grande exposição aos hormônios que as mulheres têm em seus ciclos menstruais. Quanto menos filhos, mais ciclos a mulher terá, o que significa mais contato a hormônios que estão diretamente ligados à doença. A amamentação também protege: quanto maior o período em que estiver amamentando, por mais tempo a mulher estará protegida.

Câncer de mama também ocorre em homens

Não sabia? A proporção, claro, é muito menor. De todos os casos detectados, apenas 1% ocorrem em homens. Porém, como a informação ainda é bastante desconhecida, eles acabam ganhando o diagnóstico apenas quando a doença já está em estágio avançado. Por isso é importante que os homens, assim como as mulheres, também sigam as recomendações e estejam atentos às mudanças no corpo.

Converse com seus amigos e sua família

A mortalidade, a partir de casos diagnosticados de câncer de mama, tem diminuído gradativamente ao longo dos últimos anos. A este fenômeno atribui-se o fato de que, com a tecnologia, a informação está chegando cada vez mais longe e cada vez em mais pessoas. Esse é um fator de suma importância na prevenção!

E, como prevenção nunca é demais, o conselho é que você passe a conversar com a sua família e com seus amigos sobre o tema. Saúde é um assunto sério e que merece muita atenção, ainda mais quando podemos, com algumas palavras, salvar a vida de alguém.

Cuidado com as Fake News!

Um problema na divulgação de informações sobre o câncer de mama, é a disseminação de notícias falsas. O Inca afirma que as informações equivocadas sobre a doença e tratamento, às vezes, atrapalham a campanha. A internet tem um poder muito grande para que possamos divulgar as informações necessárias à maior quantidade possível de pessoas. Mas é preciso ter cautela ao conferir as informações. Confira, abaixo, algumas dicas sobre como não cair nas garras da falsa informação.

  • Antes de compartilhar algo, cheque se as fontes são confiáveis;
  • Verifique se outros canais virtuais também têm essa informação;
  • Se a informação for muito absurda, desconfie de sua veracidade;
  • Se estiver em dúvida, não compartilhe sem antes fazer uma nova busca.

Outra dica bastante importante é sempre procurar sites oficiais de empresas e instituições renomadas para fazer essa checagem de notícias.

Com esse teste, desenvolvido pelo Inca, você pode descobrir se anda compartilhando notícias falsas sobre a doença!

Gostou de saber um pouco mais sobre o mês cor-de-rosa? Compartilhe este conteúdo em suas redes sociais e ajude a salvar vidas!