Já falamos aqui, em outro conteúdo do nosso blog, que o ato de passar pelo luto na pandemia nos trouxe um novo enlutado. Essa é uma pessoa que sofre de múltiplas maneiras, diante de uma situação completamente nova.

Pelo fato de o luto na pandemia ter fatores que dificultam a elaboração da perda e a vivência saudável do processo, esse indivíduo é mais suscetível ao luto complicado. Ele ocorre quando situações além da morte impossibilitam a superação da perda.

Por isso, é muito importante ter em mente que, mais do que nunca, o familiar enlutado precisa do auxílio da sua rede de apoio.

Neste conteúdo, vamos citar alguns meios apontados pela equipe do blog “Vamos falar sobre o luto?”. As orientações foram publicadas em um e-book produzido pela equipe e disponibilizado gratuitamente no site. Todos os direcionamentos, claro, foram elaborados com base nos estudos da área do luto e da Psicologia. Vamos lá?

A importância dos rituais de despedida

A vida do ser humano é formada por rituais. Os de despedida talvez sejam alguns dos mais importantes e com maiores impactos para vivenciar o que vem pela frente. Como vimos no texto em que mencionamos a existência de um novo enlutado, a falta dos rituais de despedida é um dos fatores que pode encaminhar a pessoa ao luto complicado.

Para ressignificar a realização dos rituais, o e-book da equipe “Vamos falar sobre o luto?” traz algumas dicas. São ações, muitas vezes, simples, mas bonitas e carregadas de significância. Confira abaixo:

Rituais para um paciente internado em fim de vida

Com a situação da pandemia pela COVID-19, muitos familiares foram privados de viver com seus entes queridos hospitalizados os últimos momentos que eles têm de vida. Ainda mais quando a internação se refere a uma infecção por coronavírus.

Nesses casos, o indicado é elaborar ações significativas e contar com a ajuda de profissionais da saúde para realizá-las. Essas ações podem ser:

  • Escrever uma carta e entregá-la embalada em saco plástico;
  • Gravar um vídeo e pedir para rodá-lo para o familiar;
  • Pedir que, se for possível, seja tocada uma música significativa durante a realização dessas atividades.

Para os familiares mais próximos dessa pessoa que está internada, é importante prestar o apoio e cuidado também. Por isso:

  • Envie cartões;
  • Sugira boas leituras (e, inclusive, presenteie essa pessoa com livros);
  • Envie comidinhas e/ou frutas. Alimentos sempre são capazes de oferecer conforto.

Rituais para a despedida, após um falecimento

Os velórios estão sendo momentos restritos para as famílias. A maioria dos locais, por motivações legais, adotou a política de receber apenas 10 pessoas para a cerimônia. Esse ato fez com que a despedida se tornasse algo muito íntimo. O que a cartilha sugere para os velórios que estão ocorrendo agora é que os familiares façam deste momento uma despedida muito significativa, já que encontrar significado pode ser uma fase de suma importância na vivência do luto.

O e-book sugere que essas ocasiões abram espaço para falar de quem se foi, relembrar histórias, cantar músicas, recitar poesias e fazer agradecimentos especiais. Uma celebração maior, envolvendo mais pessoas e mais homenagens, pode ser agendada para daqui uns meses.

Também é válido considerar a importância de uma celebração virtual para este momento. A união, mesmo que à distância, pode ser reconfortante para todos.

Rituais que confortam a família

Embora as sugestões acima sejam para a memorialização do ente querido que partiu, essas iniciativas também são capazes de gerar conforto para quem ficou. Porém, além das que já elencamos, o e-book da equipe do blog “Vamos falar sobre o luto?”, também traz outras perspectivas. São elas:

  • Realizar orações através de videoconferência;
  • Marcar um horário para que cada um, de sua casa, dirija sua atenção aos enlutados próximos e à pessoa falecida;
  • Pedir para que cada um acenda uma vela no mesmo momento e compartilhe fotos pelo WhatsApp;
  • Reunir relatos e histórias sobre a pessoa falecida e fazer deste material um belo livro de memórias.

Você está passando pelo luto na pandemia? Preste atenção neste recado:

Antes de mais nada, sentimos muito pela sua perda. Sabemos que está sendo um momento doloroso e, justamente por isso, queremos prestar apoio. Por isso, trouxemos algumas orientações pontuadas pela cartilha referentes ao seu luto.

  • Cuide-se bem. Agora, mais do que nunca, é importante manter uma boa alimentação, um bom sono, cuidados com o corpo e, também, entender seus sentimentos.
  • Viva o seu luto, é um direito seu. O luto acontece de maneiras diferentes para cada pessoa. Desta forma, facilita se você buscar entender os seus sentimentos, como falamos acima. É muito importante saber o que ajuda. Chorar, escrever, ficar sozinho, ficar em companhia, etc… Cada luto é único, e você precisa descobrir como é o seu.
  • Compartilhe seus sentimentos com as pessoas que são importantes para você. Dizer aos amigos e familiares que você precisa chorar/escrever/ficar sozinho/ligar para alguém, vai lhe dar a liberdade de viver o luto conforme ele deve ser vivenciado.
  • Procure ajuda sempre que sentir necessidade. Pode ser profissional, ou simplesmente um ombro amigo. O importante é que você procure essa ajuda, se perceber que é de ajuda que você precisa. O tratamento profissional para o luto, por exemplo, é uma técnica que só surte efeitos caso seja um desejo do enlutado estar em tratamento.

Estão sendo tempos difíceis e, agora, mais do que nunca, vamos precisar nos amparar uns nos outros para enfrentarmos as dificuldades trazidas pelo luto na pandemia

Essas dicas ajudaram? Você se sente reconfortado ou apto a auxiliar alguém em luto? Conte para a gente aqui nos comentários! É muito importante sabermos como o nosso trabalho está sendo recebido por quem nos lê!