Sabia que o sentimento de gratidão pode ser um grande aliado para superar o luto? Para este conteúdo, trouxemos as palavras de um psicólogo para ajudar o nosso leitor a entender como o luto pode se transformar em uma lembrança na vida do enlutado.

A seguir, você irá conferir um pouco da experiência de Pablo Mantovani Polippo, psicólogo cognitivo-comportamental, em se tratando de usar a gratidão para superar o luto.

Siga a leitura!

O que é o luto?

Em linhas gerais, o luto se torna uma lembrança na vida de quem já passou por ele. O momento marca a pessoa enlutada de diversas formas. É um processo que exige cuidados e rituais para o momento da despedida. Assim, a elaboração da morte da pessoa se torna mais transparente de ser viver.

No entanto, a vivência do luto pode trazer as mais diversas reações. Há quem grite e chore, há quem se isole de tudo e todos. Também existem aqueles que se revoltam e não entendem o motivo para isto estar acontecendo. A forma de se encarar uma perda é plural.

O psicólogo Pablo Polippo lembra que o processo de luto é individual. “Cada pessoa tem o seu tempo de luto. É importante chorar para expressar o sentimento de que aquele ente querido fará falta, é o momento de se despedir. Jamais se deve dizer para uma pessoa não chorar em um velório. Aquele momento é justamente para isso”, exemplifica ele.

Luto e gratidão

O luto faz parte de um momento de despedida e rompimento, mas, mesmo assim, é possível exercer a gratidão. Relembrando e valorização momentos e sentimentos, fortificar os laços com quem está ao seu lado e deu apoio em um momento difícil.

Com base na orientação do psicólogo, separamos algumas dicas que podem ser fundamentais para a despedida.

  • Demonstre os sentimentos: chorar e falar são atitudes importantes para relembrar que aquele ente querido fará falta, é o momento de se despedir;
  • No período do luto, é importante recordar as coisas boas feitas pela e para a pessoa que faleceu e todos os momentos bons que foram vividos juntos;
  • Se acontecer de você pensar que não fez suficiente, pode tentar compensar fazendo pelos que ainda estão vivos;
  • Jamais ficar pensando nos fatos ruins passados, já que estes não podem mais ser mudados;
  • Aos poucos, substituir o pensamento que gera tristeza (normal do luto) por pensamentos e lembranças felizes que passou com aquele ente querido.

Gratidão todos os dias

As redes sociais ampliaram a conexão e aproximaram muitas pessoas, dessa forma a palavra gratidão é vista em muitos depoimentos e comentários. Para Pablo Polippo é importante refletir sobre o sentido da palavra.

“Se estamos agradecendo é porque recebemos algo, mas fizemos algo em troca do que recebemos? Obviamente não se deve fazer algo em troca por obrigação de retribuir, mas sim para demonstrar o verdadeiro agradecimento”, pontua o psicólogo.

Compartilhando momentos

O profissional ainda reforça a importância de praticar a gratidão. “As pessoas deveriam compartilhar menos as palavras soltas em redes sociais e praticar mais a gratidão com comportamentos na vida real”.

O Memorial Vera Cruz está sempre à disposição dos familiares e do público em geral, para os processos de despedida. Com uma vigilância de 24h por dia, tornando muito mais fáceis as visitas para todos que desejam se despedir e prestar homenagens.

E você? Como tem utilizado a sua gratidão? Ela é apenas nas redes sociais ou você realmente exerce? Esse sentimento pode ser expressado em pequenos atos, você tem algum exemplo? Conta para gente nos comentários!

Também separamos outros dois conteúdos que você pode gostar. Um é sobre o ato de aproveitar o presente de forma intensa e outro é sobre o poder das lembranças boas para superar o luto.

Esperamos que você goste!

Carpe Diem: o que é uma vida inspirada no “viver intensamente”?

Lembranças boas: como elas melhoram o estado de espírito?