Tosse, espirros, febre, coriza, mal-estar, dificuldade para respirar: a lista de sintomas das doenças respiratórias é extensa, e certamente você já sofreu com um ou mais deles — seja de maneira branda, seja de forma mais grave.

Esse tipo de doença é bastante comum nas estações mais frias do ano e, se você mora em estados nos quais a variação térmica é maior e os invernos são rigorosos, como o Rio Grande do Sul, provavelmente sofre ainda mais com essas afecções.

Mas você sabe por que esse tipo de doença surge com mais frequência no outono e inverno? Quer saber como se cuidar? Continue lendo este texto e descubra 6 formas de prevenir essas doenças!

Quais são as doenças respiratórias mais comuns?

Em entrevista, a especialista em alergia e imunologia Maria Sonia Dal Belo esclarece que as principais doenças respiratórias são os resfriados, gripes, infecções das vias aéreas superiores — que ocasionam sinusopatias, as famosas sinusites — e das vias aéreas inferiores — resultando em pneumonias, broncopneumonias e bronquites, além do agravamento de quadros alérgicos de rinite e asma brônquica.

Muitas dessas doenças são causadas por vírus e bactérias, transmitidos por meio de gotículas de secreção espalhadas no ar e pelo contato das mãos com objetos e superfícies contaminadas. Já as doenças de tipo alérgico são provocadas pelo contato com agentes como poeira, fungos, ácaros e pelos.

Por que essas doenças são mais frequentes no outono e inverno?

Segundo Maria Sonia, o frio e as oscilações de temperatura são as principais causas do favorecimento de afecções respiratórias. “Esses são fatores que enfraquecem a imunidade da paciente e tornam o organismo mais suscetível ao desenvolvimento de doenças”, explica.

Isso porque, nesse tipo de clima, os vírus e bactérias se propagam com mais facilidade e o enfraquecimento da imunidade faz do organismo um alvo propenso ao desenvolvimento de doenças. Isso acontece da seguinte forma: em climas frios, as pessoas tendem a permanecer mais tempo em ambientes fechados.

Além disso, o inverno geralmente tem índices baixos de umidade relativa do ar. Esses são dois fatores que facilitam a proliferação dos microrganismos e, ao mesmo tempo, promovem um ressecamento das vias aéreas — tornando-as desprotegidas.

Vestir agasalhos guardados há muito tempo, por exemplo, também é um dos motivos pelos quais as doenças do tipo alérgicas também são agravadas em climas frios.

O que fazer para se prevenir?

De acordo com a especialista, algumas dicas podem ser úteis na prevenção contra as doenças respiratórias, que podem partir de um simples incômodo e mal-estar, ou tomarem proporções maiores, tornando-se graves riscos à saúde. Confira seis cuidados essenciais:

1. Mantenha uma alimentação saudável

Os vírus, bactérias e outras partículas, como poeira e poluição, estão espalhados pelo ar e nós estamos o tempo todo em contato com eles — esse é um fato difícil de alterar. O que você pode fazer para se proteger disso é fortalecer o seu sistema imunológico, que defende o organismo de qualquer tipo de doença.

Mas o que fazer para fortalecer esse sistema? A resposta é manter uma alimentação saudável e variada, incluindo muitas frutas, verduras e legumes para que o seu corpo absorva a maior quantidade possível de vitaminas e minerais.

A vitamina C, por exemplo, é um dos nutrientes que melhoram a imunidade do organismo e pode ser encontrada em várias frutas, como abacaxi, acerola, laranja, tangerina, kiwi e morango — além de outros vegetais como brócolis, couve-flor e repolho.

2. Higienize as mãos frequentemente

A transmissão por meio das mãos é uma das principais formas de contaminação por vírus e bactérias. Sem perceber, tocamos em vários objetos e superfícies infectadas ao longo do dia — telefones, corrimãos, transporte público, maçanetas — e levamos as mãos aos olhos, nariz ou boca, trazendo os microrganismos para dentro do nosso corpo.

Por isso, lave muito bem as mãos, sempre que possível. O uso do álcool em gel também é uma alternativa, se a higienização frequente com água e sabão não for viável para você.

3. Mantenha os ambientes arejados e ventilados

Lugares fechados, com aglomeração de pessoas e pouca circulação de ar, são perfeitos para a propagação dos microrganismos. Além disso, a baixa umidade do ar resseca as mucosas e nos torna ainda mais suscetíveis a contaminações.

O ideal é evitar esse tipo de ambiente, mas, se não for possível, tente manter alguma fonte de ventilação e usar um umidificador de ar, de forma moderada.

4. Beba muita água

Outra maneira de combater essa “secura” do inverno é se hidratar de dentro para fora. A hidratação é essencial para manter um bom funcionamento de todos os sistemas do nosso corpo, inclusive o de controle da temperatura.

Em geral, a recomendação é um consumo de cerca de dois litros de água por dia, mas isso varia de pessoa para pessoa. Procure ter sempre uma garrafinha à mão, afinal, a sensação de sede diminui nos dias frios — mas a necessidade de água do organismo não.

5. Evite ambientes com extremos de temperatura

Mudanças bruscas de temperatura também podem gerar uma irritação das vias aéreas, afinal, elas levam um tempo para se adaptar ao novo ambiente. Além disso, o hábito de transitar entre lugares com diferentes temperaturas é um fator que, com o tempo, deixa o sistema imunológico mais frágil.

Portanto, evite ambientes com extremos de temperatura — é bom maneirar nos aquecedores, por exemplo — e mantenha-se bem agasalhado nos lugares mais frios. 

6. Vacine-se contra a gripe

Apesar de parecer uma doença simples, a gripe pode evoluir de forma grave — e a vacina é uma das melhores estratégias de prevenção dessa e de outros tipos de doença.

Todos os anos, a composição da vacina contra a gripe muda, incluindo os vírus mais comuns que estão circulando naquela época. Em geral, ela não traz reações adversas e é bastante eficaz. Existe apenas uma contraindicação: pessoas que têm alergia severa a ovo. Portanto, se você não está incluído nesse grupo, vacine-se anualmente!

Muita gente já se acostumou com a companhia desagradável das doenças respiratórias, afinal, elas são realmente muito comuns — especialmente com a chegada do outono e do inverno. Mas, com alguns cuidados, é possível evitá-las. Ainda, é bom lembrar que algumas dessas doenças (como a pneumonia e alguns tipos de gripe) não são nada inofensivas.

Cuidar da saúde é essencial para manter uma boa qualidade de vida. Quer ter acesso a mais conteúdos como este? Curta a nossa página no Facebook!